(ESBOÇO DA MENSAGEM PREGADA DOMINGO, 11/11/2013 no Ministério IMUEG-SP) – Para esta pregação quero convidá-lo a abrir sua bíblia no livro de Númeroscapítulo 15, onde leremos um peque­no trecho da palavra de Deus. Por favor, vá até o versículo 37 e acompanhe comigo a leitura até o versículo 40 – “O Senhor disse a Moisés: 38 Façam borlas nas extremidades das suas roupas e ponham um cordão azul em cada uma delas; façam isso por todas as suas gerações. 39 Quando virem essas bor­las vocês se lembrarão de todos os mandamentos do Senhor, para que lhes obedeçam e não se prostituam nem sigam as inclinações do seu coração e dos seus olhos. 40 Assim vocês se lembrarão de obedecer a todos os meus mandamentos, e para o seu Deus vocês serão um povo consagrado.
       Esta foi a instrução dada pelo Eterno a Moisés, cerca de 1490 anos antes da vinda do seu filho à terra. Segundo a sua ordem as autoridades entre o povo deveriam fazer para si “borlas” em suas roupas, uma espécie de franja, acompa­nhada de um cordão azul para o povo de Deus lembrar-se dos seus mandamentos, promes­sas e santidade, naquele tempo e também por todas as outras gera­ções. Ao cumprir este mandamento o seu povo receberia em troca a proteção e também as bênçãos do Eterno Deus. Este padrão de “troca” estabelecido entre o Senhor e a sua criação dura até hoje. Quem  cumpre os seus manda­men­tos inva­ria­velmente atinge patamares grandio­sos em sua vida. Aprendemos isto nas palavras de Josafá em 2ª Crônicas 20.20 onde ele diz: Tenham fé no Senhor, o seu Deus e vocês serão sustentados; tenham fé nos profetas do Senhor, e terão a vitória. Em outra tradução lemos um pou­co diferente – “Ouçam o seu Deus e estarão seguros, ouçam os seus profetas e serão prósperos” – enfim, quando obede­ce­mos a Deus de uma forma ou de outra somos abençoados em to­das as áreas da nossa vida nos quatro padrões dife­ren­­tes de riqueza estabelecidos pelo Senhor. Estes padrões obedecem uma escala do menor para o maior da seguinte forma: O PRIMEIRO – Bens físi­cos,  O SEGUN­DO – mérito e caráter, O TERCEIRO – tesou­ros escondidos. Tesouro escondido é credito com Deus. Você ora e Deus responde. Deus só paga a conta para quem tem cré­dito com Ele. O QUARTO – Riqueza que não tem preço. Exem­plo: Nossos filhos. Quanto vale seu filho? Você venderia seu filho, ou quem sabe seus pais? Claro que não! É uma rique­za que não tem preço.  Quando analisa­mos os padrões de rique­za desta maneira, percebemos que todos nós de uma forma ou de outra somos ricos. Todos nós possu­í­mos em nossos baús espirituais tesouros muito especiais. Neste momento eu gostaria de lhe fazer um convi­­te para meditar. Por favor, feche os seus olhos e por alguns momen­­tos (durante louvor) vamos pensar em nossas rique­zas. Pense em quan­tas vezes o seu caráter foi elogiado, quantas vezes o Senhor já lhe deu grande crédito atenden­do as suas necessidades. Você já pensou em riqueza maior do que esta? Agora pense na sua família, seus filhos, pais, parentes e até os amigos mais chegados do que irmãos. Veja quanta riqueza há no seu meio e como o Senhor tem preen­chido suas necessi­dades espirituais, físicas e psicológicas.  
       Acredito que este tempo tenha sido suficiente para perceber o quanto somos ricos, o quanto Deus nos abençoa em determinadas áreas da nossa vida ou quem sabe até em todas. Há porém um problema a ser resolvido: Nós desper­diçamos indiscriminadamente as nossas riquezas, e muitas vezes isto acontece de maneira tão sutil a ponto de parecer normal para nós, de forma que sem perceber, deixamos ir embora pelo ralo todas as nossas “reservas” espirituais, todo o nosso crédito com Deus, enfim, todas as nossas energias, colocando-nos numa situação de constante sofri­mento e às vezes até mesmo derramamento de sangue. As grandes guerras até os dias de hoje, na sua maioria existi­ram por motivos religiosos, mais especificamente porque o povo deixou de obedecer a vontade de Deus quebrando as regras em relação à palavra de Deus. Nesta pregação ire­mos abordar este assunto e meditar nos resultados destas perdas para aprender como evitar que elas aconteçam e também como fazer para recuperá-las. Talvez, neste momen­to, você esteja desapro­priado das suas riquezas, fraco e depri­mi­do por tê-las perdido, mas o Senhor tem uma palavra para você, uma palavra de vitória onde o Eterno e você selarão um pacto de vida nova e felicidade. Se você deseja receber esta pala­vra e a sua profecia  aplauda este mo­men­to na presença do Senhor da melhor forma possível.
       Caminhe comigo pelas páginas da sua bíblia e vá até o livro de Marcos, capítulo 5, onde aprenderemos através dos versículos 25 a 29. O texto diz assim – “E estava ali uma certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de hemorragia. 28 Ela padecera muito sob o cuidado de vários médicos e gastara tudo o que tinha, mas, em vez de melhorar, piorava. 27 Quando ouviu falar de Jesus, chegou por trás dele, no meio da multidão, e tocou em seu manto, 28 porque pensava: “Se eu tão somente tocar em seu manto, ficarei curada. 29 Imediatamente cessou sua hemorragia e ela sentiu em seu corpo que estava livre do seu sofrimento.
       Este é um texto muito conhecido entre o povo Cristão, pregado milhares de vezes através dos séculos em muitas igrejas de diversas denominações e tamanhos.  Dentro do nosso compromisso de trazer a palavra revelada de Deus e não pregar o óbvio ou “mais do mesmo”, quero a partir de agora, mostrar a você alguns pontos importantes porém muitas vezes desapercebidos. O texto nos informa a respei­to de uma mulher com um grave problema de  saúde, também nos informa sobre uma cura milagrosa registrada pelos apóstolos Marcos, Mateus e Lucas. Quando avaliamos este texto rapidamente é apenas “tudo” isto que se pode observar, porém com um pouco mais de dedicação iremos notar grandes e importantes ensinamentos muito úteis para nós todos. O texto de Números 15 e Marcos 5 estão absolutamente entrelaçados entre si. Em Marcos somos informados a respeito de uma mulher cujo fluxo menstrual perdurava ininter­rupta­mente por 12 anos e a relação com  Números 15 acontece no momento em que ela toca no manto de Jesus, lembrando-se da função estabelecida para as vestimentas dos sacerdotes. Neste texto apren­demos que a função das “borlas” nas rou­pas judaicas era lembrar o povo a respeito das regras esta­be­lecidas pelo Eterno e que em hipótese alguma poderiam ser quebradas e, se por acaso isto acontecesse, o povo sofre­ria consequên­cias que perdura­riam por longo tempo. É o que lemos em Deutero­nômio 28 a partir do versículo 15, veja – “Se, porém, não ouvires a voz do Senhor teu Deus, e não cuidares em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que

Eu hoje te ordeno, virão sobre ti todas estas maldições e te Alcan­çarão: 16 Maldito serás na cidade e maldito serás no campo. 17Maldito o teu cesto, e a tua amassadeira. 18 Maldito o fruto do teu ventre e o fruto do seu solo, e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas, 19Maldito serás ao entrares, e maldito serás ao saíres…”. Perceba que as penas pelo descum­pri­mento das regras vão muito além de um pequeno tempo: Maldito serás na cidade e no campo…, maldito o fruto do teu ventre e o fruto do teu solo… Isto certamente demanda tempo e gerações. O que percebemos então é uma posição de dor e sofrimento constante aos que descumprem os man­da­­­­mentos de Deus. Vamos juntar as duas passagens e os seus olhos vão se abrir para algo tremendo da parte de Deus. Pense na mulher com o fluxo constante de sangue. O que o Eterno está comuni­cando através dela? Vejamos: Uma mulher a partir da sua “menarca” ou seja, a primeira mens­truação passa a obede­cer uma sequência chamada “regra” mens­tru­al. Esta regra implica na dispersão do óvulo não fecun­dado através de um fluxo sanguíneo cuja duração em geral per­dura por três dias em média. Todos os meses, não haven­do a fecun­dação acontece a mesma coisa e isto passa a ser uma regra no corpo e na vida da mulher implicando em um determinado nível de sofrimento, porém, um sofri­mento com data marcada para o seu fim, de tal forma que o sexo feminino em geral já está mais do que habituado a conviver com ele. Até mesmo os 3 dias pelos quais perdu­ram este período doloroso para a mulher estão classificados na bíblia como tempo de sofri­men­to. Foram 3 os dias que Jonas passou sofrendo na bar­riga de um grande peixe. Foram 3 os dias em que Paulo esteve sem poder enxergar. Lázaro, amigo querido de Jesus passou 3 dias morto e só no quarto pode reviver. Em um dos castigos impostos pelo Eterno ao povo egípcio, foram 3 os dias de trevas. Mas por que Deus estaria utilizando o corpo de uma mulher como forma de relem­brar ao povo a necessidade de cum­prir regras, e as conse­quên­cias de não cumpri-las? A resposta está em 1ª. Coríntios 3.16 onde lemos: “Não sabeis vós que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em voz?”. Da mesma forma, quando Moisés sobe ao Monte Sinai o Eterno entrega a ele duas tábuas com 10 leis diretas e específicas a serem cumpridas pelo seu povo, porém ao lermos os livros escritos por Moisés encontramos não só 10, mas 623 regras que deve­riam ser obedecidas pelo povo judeu. O número 623 pode parecer indiferente mas se somarmos o número de ossos, nervos e músculos do corpo humano chegaremos a mesma soma: 623. Mais uma vez o Senhor aponta para a regra aplicada diretamente à sua criação. A mulher é utilizada neste caso e não o homem porquê é a mulher quem gera a vida no seu corpo, assim como a igreja gera vidas. A mulher simboliza a igreja e portanto a igreja, que somos nós todos, precisa estar debaixo da autoridade de Deus. Aprendemos com esta mulher que quando uma regra é descum­prida existe sofri­mento constante, quer seja na sua vida particular ou  na igreja.  Sempre que estamos longe da presença de Deus há desor­dem na vida familiar.

       Ainda cruzando os dois textos vamos um pouco mais a frente: Segundo as escrituras, a mulher sofria de um fluxo de sangue há 12 anos. Certamente 12 anos representa um longo período de sofrimento na vida desta mulher em virtude do “descumprimento” de uma regra. Levíticos 15.25 diz: “Quando uma mulher tiver um fluxo de sangue por muitos dias fora do seu período de regras normal, (…) ela ficará impura por enquanto durar este período, tal e qual os dias normais da sua regra”.  Vamos entender o que acontece quando descumprimos regras através da vida desta mulher.

       OROUBO do INIMIGO
       João 10.10 é bem claro – “O ladrão não vem se não para roubar, matar e destruir…”. Há um plano meticuloso estabelecido pelas estruturas angelicais satânicas para (1) roubar as suas bênçãos, (2) matar a sua fé e (3) destruir definitivamente você que é a obra prima do Senhor. Faz parte deste plano não deixar você perceber o roubo, e foi assim na vida daquela mulher. Os seus dias de sofri­men­to começaram como todos os outros ao longo da sua vida, porém com uma data marcada para o fim. Da mesma forma, nós passamos pelos nossos dias de sofrimento, mas sabe­mos que há uma data marcada para o seu fim. Ora! É o que aprendemos, no Salmo 30.5 – “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã…”. No primeiro dia ela acordou e disse: “Dentro de três dias, estarei livre deste sofrimento”. Passaram-se os três dias e no quarto lá estava o sofrimento. Talvez ela tenha pensado: É normal, um dia a mais, um dia a menos, o que é isso para quem já está acostu­mado com três dias? O tempo vai passando e as coisas começam a ficar complicadas para aquela mulher.  Um derramamento contínuo de sangue representava um enorme sofrimento em termos físicos. O sangue é responsável por levar alimento para todo o corpo. Através dele irrigamos cada centímetro da máquina humana fazendo-a funcionar em perfeita harmonia com os nossos pensamentos. Perder sangue continuamente resultaria numa fraqueza capaz de minar a sua capacidade de agir corretamente. Da mesma forma, todas as pessoas que passam por um período longo de sofrimento ficam desnutridas fisicamente e espiritual­mente, tornando-se muitas vezes incapazes de tomar deci­sões ou de agir da forma esperada. Com o passar do tempo, o sofrimento da mulher se tornou tão nítido que ficou impossível esconder. Seus filhos, perceberam, seu esposo percebeu, seus amigos perceberam e a partir daí ela passou a perder as “suas reservas”. Todo sofrimento resulta em perdas espirituais e físicas e não seria diferente com ela. Em geral falamos que “a mulher do fluxo de sangue gastou tudo que tinha”, porém isto é pouco para definir suas perdas pois ela não perdeu apenas bens materiais, ela perdeu em todos os 4 níveis de riqueza que falamos no início.
PRIMEIRO – Ela perdeu seus bens físicos: Marcos 5.26 diz “que ela gastara tudo que tinha”. Este é erro comum também nos dias de hoje. Talvez a mulher pudesse ter tomado uma posição espiritual quanto ao seu problema, porém, ela preferiu passar 12 anos destruindo todo o seu patrimônio tentando curar-se de um problema. Há quanto tempo você está gastando dinheiro para resolver problemas que só o Senhor pode resolver? Já parou para pensar nisto? Quantas vezes nós investimos em soluções cujos resultados evidentemente não serão atingidos, pois o Senhor não está no negócio?
       Logo depois ela perdeu o seu segundo nível de riqueza: “Mérito e Caráter”. Naquela época um médico não era apenas inacessível por questões financeiras. Os estudos médicos eram na grande maioria voltados para o corpo do homem. Fora isto os próprios médicos, por conta das leis judaicas que os impediam de tocar o corpo de outras mulhe­res exceto suas esposas, evitavam tratá-las. O fato desta mulher ter sido tratada por “diversos” médicos ao longo de 12 anos, indica que ela pertencia a uma família com “méritos” e também que possuía um “caráter” reconhe­cido entre a comunidade onde estava inserida. Se assim não o fosse ela rapidamente seria conduzida para fora da cida­de, onde era o local destinado para as pessoas doentes conforme estipulava a Lei de Moisés. Conos­co não é nada diferente, você é d

igno de mérito graças ao seu caráter cristão e esta condição o mantém vivo na mão do médico dos médicos que não demora em atendê-lo todas as vezes que você clama, porém, o descum­primento constante das regras, pode fazer o Senhor se sepa­rar de você, deixando-o preso nas garras do inimigo. Após algum tempo necessariamente duas coisas poderiam acontecer àquela mulher: A primeira, tornar-se uma andarilha rejeitada pela comunidade, ou uma fugitiva entocada em um  reduto para doentes. Quem poderá ser você? Talvez um andarilho sem direção espiritual, ou um fugitivo preso em um reduto para doentes? Talvez o reduto do vício, da contenda, do medo, da tristeza?

Ainda como se não bastasse todas estas dificuldades as coisas ficariam ainda piores. A esta altura ela perderia o tercei­ro nível  de riqueza na qual estava inseri­da: O crédi­to com Deus. Longe do seu lugar de costume, desapropri-ada, e doente, sua fé ficou abalada e durante muito tempo, cerca de 12 anos,  ela se esqueceu da presen­ça do Eterno em sua vida. Quando pedimos, esperamos a resposta de Deus. Em geral o Senhor nos responde no seu tempo, porém este tempo nunca é maior do que podemos suportar. No seu caso, ver todas as suas posses serem gas­tas sem deixá-la curada a fez pensar que “nada” poderia salvá-la. Aquela mulher perdeu o crédito com Deus.
Por último, a mulher do fluxo de sangue perdeu a sua riqueza sem preço.  Ela perdeu sua família. Não podemos confabular a tal ponto de dizer quais e quantos filhos ela tinha e como era o seu marido. Mas o texto nos dá uma pista importante: Mulheres eram impedidas de manuse­ar dinheiro. Da mesma forma, eram impedidas de consultar um médico sem a presença de um homem ao seu lado. Entendemos desta forma que não ela, mas sim o seu marido ou quem sabe um de seus filhos a acompanhavam nestas incursões ao médico e também pagavam suas contas. Com a sua doença, os prováveis filhos, o provável marido, mas com certeza, a sua família, precisou se afastar e permanecer longe dela. Conosco não é diferente! O sofrimento constante nos afasta da família e o não cumprimento das regras estabelecidas pelo Senhor impedem uma reaproximação. Nos tornamos exilados dentro da nossa própria casa.
Veja a situação desta mulher, a princípio uma pessoa tremendamente abençoada até uma determinada época da sua vida, entretanto, quando lhe veio a maturidade foi duramente atacada por uma doença capaz de minar a seus bens, seu mérito, sua confiança em Deus e até mesmo a comunhão com a família. Mais do que isto, o problema surgiu como algo comum e logo depois mostrou a sua cara. Conosco não é diferente. Nós também estamos sujeitos a estas doenças “espirituais” ao longo da nossa maturidade espiritual e tal e qual aconteceu com a mulher do fluxo de sangue, também somos obrigados a gastar todas as nossas reservas espirituais para tentar solucionar o problema. O pecado que surge como se não fosse desgasta as suas reservas! A fofoca, a maledicência que antes era um simples “puxa que droga” e agora é um enorme “piiiiiiiiii”, enfim todas estas coisas podem minar as suas energias espirituais e levá-lo à morte caso você não tome uma providência. Não quebre as regras! Cumpra os mandamentos do Senhor e você certamente colherá grandes frutos do seu esforço.
E agoraComofazer para vencer o sofrimento?
O PRIMEIRO passo é preciso estar convicto da sua dificuldade. Queridos, não adianta maquiar o problema, nem tão pouco tentar escondê-los. Conforme lemos no texto, as tentativas humanas de resolver a sua dificuldade levaram aquela mulher a um estado pior do que o inicial. Da mesma forma, tentar resolver seus problemas de forma superficial jamais vai gerar resultados positivos em sua vida. Se a mulher do fluxo de sangue, permanecesse na convicção de que haveria cura por intermédio do homem ela jamais procuraria o poder de Deus para curá-la. A convicção do erro nos leva a compreender os resultados do nosso pecado, assim como levou aquela mulher a compre­ender os resultados da falta de “regras” em sua vida e só através deste convencimento é que somos curados.  Atos 17.30-31 diz o seguinte: No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena a todos, em todos os lugares, que se arrependam (…). Hoje é o seu dia, convença-se de que a sua dificuldade só pode ser curada através do poder de Deus. Certamente todo tipo de sofrimento constante vai ser estancado em sua vida!
RECEBENDO A CURA
O que falamos a partir de agora não faz apenas parte da história, faz parte de um processo de cura deixado pelo Senhor através da vida desta mulher. Se você puder abrir os seus olhos espirituais e receber certamente Deus vai restaurar a sua saúde espiritual e até mesmo física de forma milagrosa. O texto (versículo 27) diz que a mulher “ouviu falar de Jesus”. Porém desta vez foi diferente. Jesus era costumeiro e vezeiro naquele lugar. Não era difícil encontrá-lo pelas ruas da cidade, porém naquele dia havia um borburinho diferente, pois Jesus havia curado um jovem endemoninhado em Gadara, na região de Decápolis. Quan­do Jesus voltou o milagre estava “fresco” de tal forma que todos na região estavam comentado a respeito deste gran­de feito. Ainda como se não bastasse, um homem importan­te, chefe da sinagoga, por nome Jairo acabara de fazer algo inacreditável: Ao ver sua filha à beira da morte e saber dos milagres de Jesus, não exitou em correr em direção a ele e “implorar” pela cura de sua filha. Ao saber do milagre em Gadara e da atitude de Jairo, um dos chefes da sinagoga, os ouvidos daquela mulher se abriram de uma forma diferente para Jesus. De fato ela pensou: Há quanto tempo estou com este problema e em nada os homens puderam me ajudar. Já gastei tudo que tinha, já perdi todas as minhas riquezas. Agora basta! Eu vou experimentar este Jesus. Eu vou correr atrás dEle! Amado, conosco não é diferente. Jesus é useiro e vezeiro na tua casa! Todos os dias Ele está por lá realizando milagres, curando doenças e te protegendo. Faça como aquela mulher, pare de correr atrás das soluções humanas  e comece a ouvir a voz de Jesus! Ele te chama hoje, agora. Vá atrás Dele e o seu milagre vai acontecer!
       Corra. Não perca tempo!
       Muitas vezes não procuramos Jesus porque não te­mos forças para lutar. Quantas vezes já ouvi a mesma frase: “Pastor eu até gostaria mas no última hora me falta forças”. Amado pense nesta mulher: Um fluxo de sangue a acompa­nhava há 12 anos e não 12 dias. Não precisamos ser médicos para saber a situação física de uma pessoa com um problema como este. É evidente que ela estava fraca e debi­li­tada, mas há horas onde é preciso lutar. Há momentos em nossa vida onde devemos dar até a última gota de sangue e ir em frente na direção do nosso alvo que é Jesus. Não deixe que a doença lhe impeça, nem a física nem a espiritual. Onde ela estava? Sim, no meio de uma multidão que se comprimia atrás do Mestre. Estar no meio da multidão significa vencer obstáculos, não se deixar parar pelas pessoas. Se no meio da tua família tem gente querendo lhe impedir de lutar, insista, empurre. Diga: “saia da frente porque eu estou passando”, hoje é o dia do meu milagre e ninguém vai me impedir de receber. Estar no meio da multidão também significa “igualdade”. Doze anos antes aquela mulher nã

o se misturava com o povo pois a sua condição social não lhe permitia estar no meio da multidão. Agora 12 anos depois, ela não poderia se misturar por causa da sua doença e “assim caminha a humanidade”. Ninguém quer estar ao lado de ninguém, as pessoas não querem mais se misturar. Você precisa estar na multidão atrás de Jesus. Não se preocupe com a sua vida social, nem com os seus problemas. Deus quer recebê-lo assim mesmo como você está para poder quebrar e fazer novamente!

       Lembra-te do teu criador!
       Eclesiastes 12.1 diz assim: “Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade…”. A palavra nos diz que a mulher “tocou” nas vestes de Jesus. Muitas pessoas ligam o “tocar nas vestes” com uma cura. De fato isto acontece, porém tocar nas vestes do Senhor está relacionado com “lembrar-se dos seus manda­men­tos”. Lembra-se da função das “borlas”? Ao tocar nas vestes de Jesus, simbolicamente a mu­lher doente estava relembrando do seu criador, sendo reconstituída por Ele. Aquela mulher conhecia os feitos de Jesus, e foi educada conforme os ensinamentos das sinagogas. É por este motivo que ela diz: “Se eu tão somente tocar as suas vestes ficarei curada”, porém ao longo do tempo, por motivos desco­nhecidos, ela se esqueceu disto. Quem sabe o dinheiro a tenha tirado do foco no Senhor. Não é uma impossibilidade já que ela preferiu tentar curar-se com dinheiro durante 12 anos ao invés de recorrer ao poder de Deus. Ao ouvir falar de Jesus de uma forma diferente, ir na sua direção e tocar em suas vestes ela estava aceitando as suas regras, os seus mandamentos e por consequência certamente ela iria rece­ber o milagre de Deus sobre a sua vida. Esta atitude representava uma volta aos caminhos nos quais ela foi educada. É como se hoje você uma pessoa afastada dos caminhos do Senhor, levantasse a sua mão e o aceitasse novamente. Hoje é dia de você tocar nas vestes do Senhor. Lembra-te do primeiro amor, lembra-te dos mandamentos, lembra-te onde errou levante-se. Hoje você vai tocar as vestes do Senhor e expulsar o pecado da sua vida.
      
       TRANSFUSÃO DE MILAGRES
       O texto (v29) diz que “imediatamente cessou sua hemorragia e ela sentiu em seu corpo que estava livre do seu sofrimento”. Ninguém que toca as vestes do Senhor deixa de receber milagres. Muitas pessoas estão sofrendo nos dias atuais por não obedecerem as regras estabelecidas por Deus, mas aquela mulher tomou uma posição na sua vida e recebeu cura. Você precisa receber esta cura hoje! Deus está neste lugar e as suas vestes estão disponíveis. Toque-a. Não se deixe vencer pela multidão. Isto é entre você e Deus. Hoje é dia de cura e milagre na sua vida! Você não vai ser curado apenas, você vai receber uma transfusão de milagres capaz de gerar grandes bênçãos na sua vida e na vida da sua  família.
       O versículo 30 diz que ao ser tocado “Jesus percebeu que dele havia saído poder”. Meus irmãos é preciso ser espi­ri­tual para compreender o que acontece aqui. Quando dou o título “Transfusão de milagres” não é a toa. Pense um pouco comigo e me ajude a pregar: Quando uma pessoa está muito doente, fraca, quase desfalecendo o médico manda tomar uma bolsa de? (Sangue). Quando o povo Hebreu, escra­vizado no Egito recebeu a ordem de Deus para proteger os suas casas o que foi que eles passaram na colunas das portas? (Sangue). Na crucificação de Jesus, um soldado perfura o seu corpo. O que foi derramado na terra, para purificá-la de todo pecado? (Sangue) Quando o cordeiro era morto para oferta, no antigo testamento, o que devia ser aspergido nos utensílios do tabernáculo? (Sangue). Amém! Acho que você já compreendeu. O SANGUE DE JESUS TEM PODER!. Poder para curar o doente, para ressuscitar o morto e para curar a mulher do fluxo de sangue. Quando Jesus diz: “De mim saiu poder”, este poder não se perdeu, na realidade entrou direto na “corrente” sanguínea da mulher, revitalizou o seu corpo, restaurou as suas energias e estancou o seu sofrimento e a sua vergonha. Se você voltar ao primeiro amor, obedecer os mandamentos do Senhor você vai receber a mesma transfusão de milagres, seu sofrimento vai parar, suas energias vão ser restauradas e o poder que está em Cristo vai estar em você!
A DIFERENÇA ENTRE CURA E PODER
Esta passagem possui um ensinamento muito pouco conhecido entre os Cristãos. A diferença entre “Cura (milagres) e poder (unção)”. Muitas pessoas confundem as duas coisas e se perdem ao longo do tempo entendendo que um milagre resolveu todos os seus problemas. Preste atenção no texto e você vai notar uma grande diferença entre os dois. Em Marcos 5.27-29 está escrito o seguinte: Quando ouviu falar de Jesus, chegou-se por trás dele, no meio da multidão, e tocou em seu manto, porque pensava: “Se eu tão somente tocar em suas vestes ficarei curada”. Imediata­mente cessou a sua hemorragia e ela sentiu em seu corpo que estava livre do seu sofrimento. Perceba as palavras da mulher onde ela diz: Se eu tocar em suas vestes ficarei curada. Agora veja o que Jesus diz no versículo 34: Filha, a sua fé a curou! Vá em paz e fique livre do seu sofrimento. Isto mostra que a “Fé” foi suficiente para curar a mulher e o Senhor foi a fonte da cura não é? Sim, mas não exatamente como entendemos. O que saiu de Jesus não foi necessa­riamente cura e sim “poder”, veja o versículo 30 – “No mesmo instante Jesus percebeu que dele havia saído poder, virou-se para a multidão e perguntou: “Quem tocou em meu manto?”. Isto põe por água abaixo a teologia do milagre vista em muitas igrejas. Milagre é real, existe, acontece todo o tempo e é uma dádiva do Senhor sobre as nossas vidas, mas esta parte é a menor entre o que Deus tem para nos oferecer pois o milagre é gerado a partir da fé do indivíduo em Jesus, mas o poder é “transferido” de Jesus para a sua criação. Apocalipse 19.1 diz o seguinte: “Depois destas coisas, ouvi o céu como que uma grande voz de uma imensa multidão que dizia: Aleluia! A Salvação e a glória e o poder pertencem ao nosso Deus”. Aquela mulher não foi apenas curada, ela recebeu poder para vencer todas as outras dificuldades da sua vida e é isto que você precisa compre­ender e buscar. Não pense apenas em curar o estômago, a dor de cabeça ou resolver o seus problemas mais evidentes. Busque o “poder” de Deus que só procede dele e você vai conseguir ser feliz em qualquer situação ou momento que esteja atravessando.
      
       DEPOIS DA TRANSFUSÃO VIDA RENOVADA!
       Apocalipse 21.4 diz assim: “Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois antiga ordem já passou”. Após este episódio a mulher estava curada.  Isto significa que a partir daquele momento ela poderia voltar para o convívio da família e teria poder para vencer todas as barreiras. Toque nas vestes de Jesus, você vai voltar para a sua família! Também que ela não seria mais envergonhada pelas pessoas que conheciam a sua doença. Toque nas vestes de Jesus, porque ele mesmo disse: “Os humi­lhados serão exaltados”. Agora ela estava renovada! Com forças para subir e descer escadas, para acordar cedo e voltar ao trabalho, para atender as necessidades da famí

lia. Toque nas vestes de Jesus e você vai ser plenamente renovado pelo poder do Espírito Santo de Deus. Por último! Mas para você não esquecer jamais. A doença daquela mulher era um fluxo constante de sangue, ou uma desordem total nas suas regras, e isto a impedia de ter filhos. Conosco também é assim, quando descumprimos as regras do Eterno Deus ficamos impedidos de gerar filhos espirituais. Ela porém tocou nas vestes do Senhor e ficou curada, e agora ela poderia ter quantos filhos ela quisesse novamente! Você quer ter filhos espirituais? Talvez seu esposo, seus filhos, sua mãe… enfim? Quantos filhos você quer ter? Hoje é dia de tocar nas vestes do Senhor e ter muitos filhos pelo poder do Espírito Santo de Deus.

       OLHO NENHUM VIU, OUVINDO NENHUM OUVIU.
       Muitas pessoas tentam descrever por completo os resultados da obediência, mas isto é impossível aos olhos do homem. O texto da mulher com o fluxo de sangue mostra exatamente isto. Quando ela toca as vestes de Jesus, este se volta para a multidão e pergunta aos seus discípulos: “Quem tocou nas minhas vestes?” e eles então respon­deram: “Vês a multidão aglomerada ao teu redor e ainda perguntas…”. Amados não foi a toa, como nada na palavra de Deus que isto aconteceu. De fato os discípulos não poderiam ver a benção recaindo sobre a vida daquela mulher. Talvez eles pudessem contemplar parte do milagre, mas a continuidade estaria de agora em diante nas mãos dela apenas e de Deus. Isto porquê conforme lemos em 1ª Corintios 2.9 – “Olho nenhum viu, ouvindo nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam”. Queridos nem eu e nem você vimos, ouvimos imagina­mos o que o Senhor tem preparado para nós! Eu porém posso imaginar e profetizar que são bênçãos grandio­sas. Poderes inimagináveis e felicidades tremendas.
       Esta palavra é para todas as pessoas que sofrem há muitos de forma constante com o mesmo problema. O Senhor está com você hoje para lhe dizer: Eu conheço suas obras, sem quem você é e hoje é o dia do seu resgate. Saia do meio da multidão e venha ao meu encontro. Por mais que lhe pareça estar o Senhor de costas para você hoje é noite de transfusão de milagres e deus vai fazer isto na sua vida. Eu quero fazer um convite a todos, para que saiam ai do meio da multidão, e venham receber esta transfusão de poder e unção aqui na frente. Deus vai operar milagres, gerar filhos espirituais e grandes bênçãos na sua vida!
                                   pr. altamir de souza
Na Visão de Multidões!
Shalom Aleichem, Aleichem Shalom
A paz seja convosco, convosco esteja a paz

Todos os nossos textos são liberados para estudos, pregações em pequenos grupos ou igrejas. A publicação dos textos entretanto só deverá ser feita mediante a autorização por escrito do autor.
UM RESUMO CONDENSADO DESTA MENSAGEM ESTÁ DISPONÍVEL PARA PREGADORES. SOLICITE GRATUITAMENTE ATRAVÉS DO E.MAIL – altamirdesouza@terra.com.br 
AJUDE-NOS A DIVULGAR ESTE BLOG.